Minha lista de blogs

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Silvio Costa Filho é reconduzido à presidência do Republicanos Pernambuco

Com a presença do presidente nacional, deputado federal Marcos Pereira, o Republicanos Pernambuco reuniu, nesta sexta-feira (29), deputados, prefeitos, vereadores e lideranças de todo o Estado para o encontro regional da legenda. Durante o evento, o deputado federal Silvio Costa Filho, foi reconduzido à presidência estadual. Deputados, prefeitos, vereadores e lideranças de mais 60 cidades de Pernambuco prestigiaram o encontro. Além da recondução de Silvio, o partido lançou 35 pré-candidatos a prefeito e prefeita de todas as regiões do Estado. A legenda filiou também os prefeitos de Santa Cruz da Baixa Verde, Tassio Bezerra; de Belém de Maria, Rolph Júnior; e de Betânia, Mário Flor.

“A presença de lideranças, prefeitos e ex-prefeitos mostra a força do partido no Estado. Silvio Costa Filho tem realizado um trabalho exemplar à frente do Republicanos em Pernambuco. Ele foi reconduzido por causa da competência e pelo compromisso com as pautas de Pernambuco. Nossa meta é eleger, no mínimo, 19 prefeitos no Estado, além de triplicar o número de vereadores. Atualmente temos 58”, pontuou Marcos Pereira.

Para Silvio Costa Filho, o Republicanos em Pernambuco começa a viver um novo ciclo. “O fortalecimento da legenda em nosso Estado não é apenas com pré-candidatos a prefeitos, mas sobretudo com pessoas que acreditam que só através da política é possível construir uma sociedade mais justa e igualitária”, destacou.

Além de filiações em todo o Estado, o Republicanos vai, a partir de 2020, iniciar uma agenda de discussões sobre as pautas que interessam o desenvolvimento das cidades, a exemplo de mobilidade urbana, saneamento, segurança, educação e saúde.


                        Blog do França.
                        Fonte: Assessoria.














Movimentos de 3ª via cresceram muito e podemos ter grandes surpresas na eleição de 2020

Boy, Rubinho, e Allan são nomes fortes que podem fazer a diferença em Jataúba, Brejo e Santa Cruz
Chegamos à reta final de 2019, daqui a pouco chega 2020 e é ano de eleições municipais. É momento de manter ou renovar os bons e ruins gestores e legisladores em suas funções. 
As eleições de 2020 será ainda mais diferenciada se comparada a de 2016, pois movimentos de 3ª via cresceram muito, e por isso vem causando um empoderamento político sem dimensões. 
Este empoderamento, por sua vez pode ser que dure apenas até a eleição, porém vivenciamos um momento diferenciado politicamente falando, momento este, de descredito político, a desvalorização de políticos de mandatos ou políticos que já estiveram no poder. 
Um dos maiores exemplo de 3ª via no agreste Pernambucano é o do empresário Edílson Tavares (atual prefeito de Toritama). Edílson foi para disputa contra Odon Ferreira (candidato a reeleição) e Lucinha Pereira (vice de mandato) e venceu as eleições. 
Após o termino das últimas eleições municipais, os nomes dos empresários Boy em Jataúba, Rubinho Nunes em Brejo da Madre de Deus e Allan Carneiro de Santa Cruz do Capibaribe surgem como opção para 2020, além dos medalhões de cada cidade acima citada. 
Jataúba
Os Jataubenses terão novas opções após anos de disputas entre Antônio de Roque (atual prefeito) e Fábio Mamão, na última eleição quem ensaiou uma 3ª via foi Chico de Irineu, mas não conseguiu obter êxito, atualmente o ex-vereador é ligado politicamente ao empresário Boy, em conversas de bastidores Chico será candidato a vereador. 
Fábio Mamão não terá muito o que fazer, perdeu muitas lideranças e seu caminho mais cedo ou mais tarde será uma união com o empresário Boy até por uma questão de "sobrevivência política" a anos Mamão tentar vencer as eleições e não consegue. Por uma questão estratégica o melhor caminho será a união avaliamos nos bastidores. 
O prefeito Antônio de Roque não poderá ser candidato, mas, deve ser respeitado por toda sua história política, afinal de contas são poucos que conhecem tão bem o caminho da prefeitura como o atual prefeito. 
Brejo da Madre de Deus
Os Brejenses por sua vez já tiveram de tudo, troca de prefeitos em um curto espaço de tempo, tira prefeito, coloca prefeito, faz eleição, cancela eleição, enfim, coisas que só acontecem em Brejo.  
Roberto Asfora e Dr. Edson disputam desde 2004 a prefeitura, na última eleição Hilário Paulo (indicado por Edson) e Mônica Asfora (indicada por Asfora) além de outros candidatos, desfecho, Hilário Paulo saiu vencedor. 
Após o fim da eleição, a liderança de Rubinho Nunes cresceu bastante com adesões de várias lideranças ligadas a Roberto e a Edson, em 2018 aproximou ainda mais suas alianças com o Governo do Estado e deve ser o candidato a prefeito do governador, ações como a adutora de Mandaçaia e a futura reconstrução da PE-145 são sinais da aliança do grupo de Rubinho com o Estado.
Ainda sobre as adesões políticas, elas não pararam de forma alguma. Por exemplo o vereador professor Marconi, em 2016 estava com Asfora, em 2017 com Rubinho Nunes e em 2019 com Dr. Edson. 
Além do vereador Marconi, nomes como Jobson Barros, Avecino Lima, Junior de Miguelão, Val Lima (depois voltou), Damião Aguiar, Flavio Diniz entre muitos outros trocaram de grupo. Vale ressaltar ainda o princípio de articulação política da oposição para se unir e conseguir a presidência da Casa José Cupertino de Souza, e conseguiram.
O posicionamento do vice-prefeito de Brejo também é algo a ser analisado, Josevaldo Lopes rompeu com o prefeito Hilário e o grupo boca preta ficou dividido, o Cawboy teve bons resultados na eleição de 2018 e deseja disputar a prefeitura. 
Próxima segunda-feira (02) serão julgadas as contas de Dr.Edson e Roberto Asfora do exercício financeiro de 2014 pela Câmara de vereadores, tive a oportunidade de conversar com alguns vereadores, e a expectativa é que a maioria siga o parecer do Tribunal de Contas do Estado, ou seja, pela aprovação das contas dos nomes acima mencionado
Um dos vereadores disse desconhecer algum vereador com conhecimento jurídico no estado para ir contra o TCE-PE, em conversa com outro parlamentar, ele falou que não tem "cara para votar favorável a Edson e Asfora", por isso está estudando como fundamentar bem seu voto ou talvez ser abster na votação. 
Santa Cruz do Capibaribe
Não muito diferente das outras cidades, a capital da moda também vive a onda da 3ª via. Ainda em 2012, Cleiton Barboza surgiu como uma alternativa naquela oportunidade, em 2016 Rodolfo Aragão não conseguiu os mesmos resultados que Cleiton, que ainda não foi o suficiente para vencer Edson Vieira em 12 e 16. 
Edson Vieira não poderá ser candidato por estar em seu segundo mandato, a tendência a indicar um sucessor que não tenham a imagem desgastada é natural, com mandato e experiência política vejo apenas Dida de Nan vice-prefeito como melhor opção, Dida soube criticar quanto foi preciso e não negativou sua imagem com os escândalos envolvendo o governo de Edson. 
Allan Carneiro, como sindico do Moda Center teve seu trabalho reconhecido, fez ações que o projetaram para hoje ele ser candidato a prefeito, como por exemplo a audiência pública sobre a questão da crise hídrica na cidade, as ações do duplica já que pediam a duplicação da BR-104 como também a ampliação do EMP, entre outras. 
Muito acreditam que caso Allan venha a ser de fato candidato será a 3ª via mais bem votada da história de Santa Cruz. 
Por outro lado, caminha o grupo Taboquinha, com Fernando Aragão, Diogo Moraes e José Augusto Maia, medalhões da política santa-cruzense tentam de alguma forma unir em torno de um único nome. Fernando e Diogo vivem uma disputa pessoal para ver quem deve ser o candidato do grupo. 
O que acho desses movimentos?
Estas movimentações de desprendimento político, eu acredito que está totalmente atrelado ao empoderamento político e novas lideranças e falta de posicionamento dos medalhões, mas não vejo como algo negativo, vivemos em uma democracia, todos tem o direito de disputar uma eleição.
É altamente positivo o surgimento de nomes como Boy, Rubinho, e Allan, pois celebram uma nova oportunidade para o eleitor escolher entre as novas opções e os já conhecidos. 
Sobre as adesões, como a classe política está descredibilizada, as lideranças hoje não têm mais "rabo preso" e pulam para o galho de desejam sem cerimônia alguma. A nomes que seria inimaginável juntos, mas a política é a arte de soma e não dividir, e a população precisa entender isso, não digo concordar, mas, entender e julgar o que está por trás de certas ações.

                         Blog do França
                        Estação Notícias     
                        Por: Allison Torres















Congresso termina 2019 com excesso de demandas e pouco foco

Segundo Rodrigo Maia, este ano ainda dá tempo para aprovar a PEC do Saneamento Básico, do foro privilegiado e projeto anticrime.
Rodrigo Maia: presidente da Câmara se consolida também como voz de sensatez contra declarações fora do tom (Adriano Machad/Reuters)

 O mês de novembro está chegando ao fim com uma enorme frente de projetos e propostas em aberto no Congresso nacional e com uma acentuada fragmentação política que, na visão dos mais céticos, torna difícil novos avanços não só no curto como no médio prazo.
Enquanto o presidente Jair Bolsonaro não avançar na criação de seu novo partido, o Aliança Pelo Brasil, a pauta de reformas deve custar a andar. Um risco adicional é a agenda legislativa ser atropelada pelas eleições municipais no segundo semestre de 2020, segundo analistas políticos.
O momento de excesso de demanda e lentos avanços foi reconhecido ontem pelo secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa. Segundo ele, o tempo gasto para conduzir reformas, como a tributária e a administrativa, não é o que o governo deseja, mas é o viável.
Costa afirmou que os poderes Executivo e Legislativo estão “trabalhando muito”, porém projetos como esses demandam um “certo amadurecimento”. “São tantas reformas que nas quais precisamos trabalhar que muitas vezes não há tempo hábil”, disse ele.

A falta de uma estratégia política para o andamento dos projetos ficou clara quando o ministério da Economia apresentou, no início de novembro, uma série de medidas de reforma do estado como “capítulos de um livro”, como afirmou o ministro Paulo Guedes. Outra reforma considerada prioritária pelo governo, a administrativa, deve ser enviada aos deputados apenas em 2020. “Melhor dar um respiro para o Congresso”, afirmou Guedes ao Estadão. O ministro afirmou que, na avaliação de Bolsonaro, o “ano está ganho” com a reforma da Previdência.
Também ao Estadão, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ontem que 2019 foi um ano positivo para o Parlamento, “com matérias relevantes e históricas”. Ele afirmou que é preciso manter o fôlego. Este ano ainda dá tempo para aprovar, segundo Maia, a PEC do Saneamento Básico, do foro privilegiado e o projeto anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro, e do ministro do STF, Alexandre de Morais. Faltam apenas três semanas para terminar 2019 no Congresso.

Para 2020, a agenda de propostas começa com muitas frentes em aberto, pouco foco e frágil articulação por parte do executivo. Neste contexto, o “fôlego” de Maia é, mais do que nunca, a maior esperança de novos avanços.

                         Blog do França.
                         Informações EXAME.




























EM JATAÚBA, 01 CURA E 04 NOVOS CASOS DA COVID-19 NAS ÚLTIMAS 24 HORAS.

07 casos suspeitos foram descartados. A Secretaria Municipal de Saúde, informa nesta sexta-feira (03-07), que nas últimas 24 horas, foram co...